x

You are using an outdated browser. Please upgrade your browser to improve your ReverbNation experience.

THADEU TAIRA / Blog

1º Festival de música 104 FM MS (encerra dia 30/08)

Campo Grande (MS): O primeiro festival de música da 104 FM está mexendo com a cabeça de muitos artistas e apreciadores da música. Na primeira fase, 84 canções foram inscritas e 11 selecionadas. As músicas escolhidas estão sendo tocadas ao longo da programação e os ouvintes podem votar por telefone (3358-2958 caixa 2) ou pela página da 104 FM na internet (www.104fm.ms.gov.br).

Thadeu Taira foi um dos classificados para a segunda fase do Festival com a música “The Fisrt One”. Ele é natural de Três Lagoas e, além de cantar, atua nas áreas de Direito e Finanças Públicas. Em entrevista, o músico falou sobre o estilo de suas composições e as expectativas em relação à carreira.

Qual a importância de participar do festival?

Vejo como uma oportunidade ímpar para a divulgação do trabalho dos novos compositores daqui, sendo que os ganhadores ainda terão sua música veiculada em todo o território nacional. Eu, que nunca tive uma música tocada em rádio, estou realmente muito empolgado. Ter uma música selecionada por júri técnico é ainda um incentivo muito grande para acreditarmos, cada vez mais, nas nossas escolhas musicais, na nossa intuição e senso estético, acreditarmos no sonho de viver de música, o sonho de conhecer o mundo como inventor de melodias.

Fale um pouco do seu estilo ou perfil musical.

Sempre fui viciado em música. Quando guri vivia correndo atrás de quem tinha discos de metal para gravar em cassete. Na faculdade, fiquei conhecido em todos os sebos da cidade. Impossível estimar quantas horas já passei ouvindo todo o tipo de música. Embora se diga que quem gosta de tudo não gosta de nada, eu sonhava em ser guitarrista e considerava toda essa informação aos ouvidos um verdadeiro investimento.

Quanto à minha música, gosto de vê-la como um tipo de música verdadeiramente livre, fluida e aberta, sem qualquer tipo de ritmo reconhecível. Um contraponto ao excesso de virtuosismo na música instrumental – que a torna estéril – e às formas pré-concebidas de composição, em favor do frescor que uma simples, mas inspirada melodia pode oferecer.

Há quanto tempo atua ou escolheu a música como expressão artística?

Quando guri já pintei alguns quadros, fiz algumas esculturas e rascunhei algumas poesias. Mas desde cedo já percebia a música como uma expressão artística infinitamente superior às demais, a mais direta, profunda e subjetiva de todas, e que, além disso, exigia disciplina e domínio técnico para se manifestar. Ou seja, não basta a qualquer bicho grilo apenas inspiração para conseguir compor uma música relevante, diferentemente das demais artes. A música encontra paralelos com a ciência e o esporte. É, sem sombra de dúvidas, a arte que mais exige estudo, treino e dedicação.

Quais suas expectativas em relação à votação?

Torço para que as pessoas e os jurados sintam na minha música aquele frescor que tanto busco nas pesquisas que faço para conhecer novos artistas e que tem sido tão difícil de encontrar.