x

You are using an outdated browser. Please upgrade your browser to improve your experience.

Darkest / Press

“Essa alquimia apresenta um dos EPs mais interessantes (e viciantes) desse ano, que possui como destaque a coesão instrumental e os vocais que mesclam berros com a crueza que as bandas brasileiras tinham nos anos 80.”

““Human Decay é a prova que quarteto faz por merecer um lugar entre os grandes nomes do thrash nacional””

“this is one of those thrash metal bands that could seriously push the genre to a whole new level”

“Darkest is a cool thrash metal band from Brazil, a country that has long been known for having an absolutely stellar thrash metal scene. Darkest are no exception to the countries fine pedigree”

“Darkest é outro nome que todo fã do metal mais extremo, aquele meio termo entre o Thrash e o Death, deve guardar num lugar especial da mente, pois possuem um grande futuro pela frente, o que é facilmente perceptível no EP “Human Decay”.”

“Encerrando esse EP, temos ainda duas faixas, "Sociopath" e "Death on Strike", duas faixas mais trabalhadas mas não menos pesadas, sendo sem dúvida as duas melhores do material.”

“As quatro composições aqui presentes são muito boas, dificultando a escolha de um destaque. Mas, Death On Strike e suas belíssimas e trabalhadas guitarras, tanto em riffs quanto em solos, as quebradas ousadas da cozinha e o bom refrão fecha o EP de forma fenomenal.”

“Com influências nítidas do Heavy Metal Tradicional passando pelo Thrash Metal dos anos 90 e Death Metal Melódico, o entrosamento dos instrumentos e do vocalista em todas as músicas revela uma banda completa em todos os sentidos.”

“Investindo em uma sonoridade que resgata o Death/Thrash Metal do início dos anos 90, a banda se desvencilha de tendências e ainda proporciona uma aula de técnica em seu primeiro EP intitulado “Human Decay”.”

“Human Decay” é composto por quatro faixas, uma melhor que a outra ficando assim impossível escolher apenas uma faixa, a “Endless Pain” foi a faixa que mais me chamou a atenção por conta do seu peso e habilidade dos músicos.”

Feedback